Clube de Compras Dallas – 2013 (Dallas Buyers Club – Jean-Marc Vallée)

117 min. – Drama – EUA

Matthew McConaughey tem uma atuação de nível Tom Hanks em Philadelphia (vencedor de dois Oscar), praticamente garantindo o seu em 2014.

A história se passa em sua maior parte na Dallas, no Texas dos anos 80. Matthew interpreta Ron Woodroof, um eletricista homofóbico que tem como maior característica a  fama de mulherengo.

O filme já começa com uma cena que escracha a posição social do protagonista, onde ele pratica sexo com duas mulheres ao mesmo tempo nos bastidores de uma arena de rodeios. Daí segue-se as cenas onde ele mais vezes demonstra-se machista ao máximo, tendo várias relações sexuais e tratando mulheres como inferiores.

Logo ele começa a sentir sintomas de sua até então não diagnosticada doença, Ron é HIV positivo e o médico lhe dá apenas 30 dias de vida, diagnóstico não aceito por Ron, já que pela cultura da AIDS nos anos 80, só gays eram diagnosticados com a doença.

Mas Jon demonstra-se ser alguém bem acima do que apresenta para a sociedade e segue pesquisando a doença, assim descobrindo que também pode contrair o vírus através de relações com mulheres infectadas.

Jon então se desespera e segue para o hospital atrás de remédios como o AZT, estes proibidos pelo governo dos Estados Unidos. Sem êxito em sua busca, Jon recorre a drogas oferecidas por um ex-médico no México, logo ele pensa em contrabandear as drogas para EUA afim de distribuí-las entre os infectados da cidade.

Nesse meio tempo Jon conhece um travesti chamado Rayon (em uma ótima interpretação do forte concorrente a um Oscar e até então desconhecido Jared Leto), que tem melhor relacionamento no mundo gay, assim facilitando a venda das drogas entre os HIV positivos. Logo Ron e Rayon tornam-se sócios e montam uma espécie de clube de compras, onde sócios pagam para poder ter acesso aos coquetéis proibidos pelo governo, assim passando por cima da lei, que afeta somente medicamentos vendidos.

Em uma trama onde Ron luta contra sua doença, o preconceito dos até então amigos, que acreditam que ele é gay, e seu próprio preconceito contra Rayon e outros gays da cidade, vemos o quão dolorido e frustrante é foi ter que conviver com essa doença nos anos 80, principalmente em um mundo onde as empresas farmacêuticas imperam e a única coisa que pode ser usado no mercado são os medicamentos que elas lucram muito em cima.

Sem dúvida um dos maiores filmes do gênero, passando por cima de todos os preconceitos e mostrando a realidade desse mundo que pessoas HIV positivas vivem, uma lição para àqueles que ainda têm preconceito.

Destaque para o físico tanto de Matthew McConaughey, como Jared Leto, que ultrapassaram as barreiras do saudável e demonstram corpos magérrimos, aludindo perfeitamente aos homens que sofreram com essa doença nos anos 80.

Gounford acredita que todo ser humano merece ser respeitado como tal.

Postado em by Kinho - Review
  • Clovis Junior

    Cara este filme é ótimo! O crescimento do personagem Jon é genial. Na verdade este trama lé um tapa na cara indústria farmacêutica que lucram por assim dizer com as doenças e não sabemos o quão oportunista ela é referente a manutenção e a cura de um determinada enfermidade.

    Teoria da conspiração? Quem sabe? rs

  • Pingback: Coliseucast #54 – RoboCop | Coliseu de Ideias()

  • flucena

    Ótima indicação Gounford, vou assistir com certeza! Muito obrigado! 😉

  • Raul Limma

    Cara, esse filme eu vou ver sem sombra de duvida, e quanto ao Jared ele ja é conhecidinho ja, ja fez varias atuações nos ultimos anos que marcaram e ele é vocalista de uma banda chamada Thirth seconds to mars, onde os clipes é cheio de referencias a obras do cinema. SHOW!

    • Gounford Thiago

      Vi que ele é cantor, mas em atuação não passou de pequenos papéis…

      Na verdade ele iria fazer o papel principal, mas a 15 anos atrás quando o roteiro foi criado por um amigo dele.

      Esse amigo queria tanto ele no filme que nem teste ele fez, a única coisa
      que precisou foi ter um “bate-papo” de 20 minutos com o diretor via
      Skype, mas já interpretando um travesti.