Caverna do Dragão – 1983 (Dungeons & Dragons – John Gibbs)

591 min. | Fantasia – Comedia – Aventura | EUA

Perdidos num mundo de três sois, Hank, Diana, Presto, Sheila, Bobby e Eric, com a ajuda da unicórnio Uni, nos levam para um mundo de masmorras e dragões, numa angustiante mas divertida aventura fantasia.

Com a produção mais competente de sua época, a serie conta com o carisma dos personagens aliados aos ótimos roteiros numa saga de descoberta e evolução.

Com poucas tropeçadas em episódios e técnica, o desenho nos apresenta perolas como “A Bela e a Fera do Pântano”, “O Dia do Mestre dos Magos”,”A Prisão Sem Muros”, “O Cemitério dos Dragões”, e uma verdadeira obra-prima em particular: “O Filho do Astrólogo”, que não é só o melhor episódio das três temporadas, como uma das melhores historias contadas em uma serie animada.

De objetos mágicos, a viajantes de outros mundos, passando por cavaleiros amaldiçoados e templos mágicos; a animação do RPG mais famoso do mundo, vence bravamente a ditadura do tempo como um clássico imortal com o poder de emocionar e ensinar.

Apesar de não haver um final animado (apenas em roteiro, que pode ser encontrado em forma de HQ), o desenho é em formato Americano, onde cada episódio se fecha nele próprio, tornando a falta de um encerramento oficial um problema apenas na cabeça dos fãs, que no longo do tempo criaram todas as teorias possíveis para o “Final Derradeiro”, onde muitas foram mais profundas e inventivas que o original criado por Michael Reeves.

No fim, Caverna do Dragão, apesar de inconclusivo, é uma das melhores experiencias que podemos ter no estilo. Um grande desenho.

Indgnato quer virar cineastra só pra filmar esse desenho.

Postado em by Kinho - Review