Review

South Park: The Stick of Truth – 2014 (Obsidian Entertainment – Ubisoft)

Postado em by Kinho - Review | Deixe um comentário  

Microsoft Windows | PlayStation 3 | Xbox 360 – RPG

South Park é considerado há anos pelo publico e pela critica especializada como um dos melhores shows da TV e no mundo dos vídeo-jogos eletrônicos ela se saiu formidável.

Usando sabiamente os personagens da TV e suas características para a construção do enredo, The Stick of Truth leva você a South Park como uma criança recém chegada com a principal missão de fazer amigos, e é nessa busca que você conhece Cartman e seus amigos em um jogo desmedido de RPG que te leva de um quintal cheio de caixas de papelão há conspirações governamentais esdruxulas a orifícios inesperados , passando por esgotos empestados de criaturas inusitadas e encontros com dividades palpáveis e amigáveis.

Um ótimo jogo, divertido, dinâmico e inteligente que você nunca mais vai esquecer.

Indgnato pirou no universo das meninas.

O Balconista – 1994 (Clerks – Kevin Smith)

Postado em by Kinho - Review | Deixe um comentário  


O Balconista conversou fundo com o meu interior, primeiro porque já fui balconista (e de certa forma ainda sou) e tenho muito de Dante Hicks em mim, no fim, o filme não me serviu apenas como entretenimento e sim como aviso, como alerta para acordar e acho que ai está magia desse clássico indie, o poder de conseguir se comunicar com os homens na casa dos 20 que teimam em continuar na adolescência.

Com o tipico humor americano, Kevin Smith carimba seu nome na historia do cinema Americano com um filme surpreendentemente bom que explora o caos do dia-a-dia de um jovem adulto. Cheio diálogos inesquecíveis e passagens inspiradas, essa comedia, assim como toda boa obra do gênero, não só faz rir, como nos faz pensar e sentir como somos ridículos, como a vida é frágil. Uma grande comedia. Um grande filme.


Indgnato se viu por uma hora.

 

Diablo III: Reaper of Souls – 2012 (Blizzard North – Blizzard Entertainment)

Postado em by Kinho - Review | Deixe um comentário  

 Microsoft Windows – Mac – PlayStation 3 – PlayStation 4 – Xbox 360 – Xbox One | Ação – RPG

Duas coisas não podemos negar: Diablo é um jogo viciante e a Blizzard sabe o que faz, mas nem por isso tudo é acerto. No terceiro titulo dessa que é uma das maiores e mais queridas sagas de RPG da historia, temos a atualização desse universo para uma nova  geração e como entusiasta da Blizzard e amante da serie, posso dizer que Diablo III foi uma experiencia esquisita. A principio este é o melhor jogo da serie pelas facilidades que vão desde a jogabilidade mais amigável até a boa dublagem mas na verdade ele é uma miscelânea de coisas do 1 e do 2 onde a unica novidade são os gráficos (que não fazem nada mais do que sua parte). É o jogo mais fácil dos três e o menos inspirado apesar da sua trilha sonora muito boa. É divertido e tem um bom tempo, mas pelo preço que está sendo vendido (+- R$ 140,00) pode ser considerado um roubo, pois não vale nem a metade disso.

Raul Lima de Albuquerque nunca mais vai jogar de novo.

Operação Invasão – 2011 (The Raid – Gareth Evans)

Postado em by Kinho - Review | Deixe um comentário  

| Ação | Indonésia – França – EUA

A palavra que melhor defini Operação Invasão é “Surpreendente”. Particularmente, não vejo um filme de porradaria tão bem feito assim desde O Protetor (2005), e isso é um grande elogio.

De forma impressionante Gareth Evans dirigi um exímio e poderoso titulo do gênero com mãos abeis e olhar clinico para a ação. Um filme imperdível que deixa na miséria as grandes produções.

Trailer

Indgnato encontrou um cara que bate no batman.

 

Estação Carandiru – 1999 (Drauzio Varella – Companhia das Letras)

Postado em by Kinho - Review | Deixe um comentário  

297 pag. – Romance

Caminhando com a graça de uma bailarina entre o caos e a comédia, Drauzio Varella nos entrega um relato que só pode ser descrito como mágico em sua narrativa leve de personagens carismáticos, suas experiências pessoais e profissionais na Casa de Detenção de São Paulo, de 1989 ao famoso “massacre” de 1992 e além. Usado por uma simplicidade invejável, Drauzio nos leva para passagens espirituosas e trágicas de milhares de vidas sem usar da critica para chocar ou da denuncia para alertar. Uma verdadeira obra prima, que leva o leitor do mais sincero sorriso ao mais profundo penar em uma única frase. Um romance irretocável.

Raul

Raul Lima de Albuquerque acha que esse livro “é sem chance”.